RUMO À IDENTIDADE

R$55,00

Esgotado

Na psicanálise, o sujeito que é convocado a “se dizer”, é, por definição, em falta de identidade. “Que sou?” é a sua questão, mas, sendo somente representado por suas palavras, seu ser está “sempre alhures”, em outras palavras, por vir.

 

Paradoxo, portanto: busca-se pela fala a identidade de um ser que não é identificável na fala. Não importa que ele tenha um corpo e que seja tomado por distúrbios que a psicanálise, de Freud a Lacan, identificou muito bem e que, não por acidente, se nomeia como repetição e sintoma, e que desloca a questão da identidade porque Um real aí está em jogo.