FORMAÇÃO DA LITERATURA BRASILEIRA

R$128,00

Este livro estuda dois períodos de nossa literatura, Arcadismo e Romantismo, considerados pelo autor decisivos para a formação do que denomina sistema literário, isto é, a articulação de autores, obras e públicos de maneira a estabelecer uma tradição. Esta gera a continuidade, que dá à produção literária o caráter de atividade permanente, associada aos outros aspectos da cultura. Este modo de ver diverge da historiografia tradicional, porque adota como critério classificatório a constituição da literatura como atividade regular na sociedade, não como expressão de algum sentimento nacional.

No Brasil sempre houve a produção de textos importantes, desde Anchieta no século XVI. No entanto, segundo o autor, só a partir de meados do século XVIII começa a ser possível falar, não de obras isoladas, e sim do esboço de uma literatura propriamente dita. Portanto, o seu intuito não foi estudar toda a lite­ratura do Brasil, mas os períodos durante os quais ela adquiriu o caráter de sistema, conforme a definição acima. A partir deles, a literatura passou a ser uma instituição da sociedade, não sim­ples ocorrência de textos, por mais importantes que fossem, como são de fato, por exemplo, no século XVII os de Gregório de Matos (inéditos até o século XIX) e do padre Antonio Vieira; ou o de Rocha Pita na primeira metade do século XVIII.