CONVERGÊNCIA

De 1970, é o último livro publicado em vida. Nele o poeta renova a sua própria poesia, dialogando com movimentos como o concretismo. A edição traz um texto inédito em português de Ruggero Jaccobbi, crítico italiano que traduziu Murilo Mendes na Itália, e posfácio de Júlio Castañon Guimarães.